OPINIÃO: Com a desistência de Romildo Bolzan Júnior, Juliana Brizola (PDT) pode ser a vice de Edegar Pretto (PT) na corrida ao Piratini

Segundo informações, as conversas entre Pretto, o PT e a direção pedetista estão de vento em polpa há algumas semanas . . .

Em entrevista coletiva na tarde desta quinta-feira, 12 de maio, Romildo Bolzan Júnior anunciou que continuará na presidência do Grêmio. O dirigente anunciou que não irá mais concorrer a governador do Rio Grande do Sul, que era de interesse do seu partido, o PDT (Partido Democrático Trabalhista).

Com a desistência do mandatário tricolor, um novo cenário se desenha na chapa encabeçada pelo petista Edegar Pretto ao governo do Estado. Segundo informações, as conversas entre Pretto, o PT e a direção pedetista estão de vento em polpa há algumas semanas.

O fato novo com a saída de Bolzan, é que o nome “dos sonhos” para vice na chapa majoritária seria o da neta de Leonel Brizola, a Deputada Estadual Juliana Brizola. Manuela D’Ávila seria indicada para concorrer ao Senado. Em março deste ano, o próprio Edegar já havia convidado Manuela para concorrer ao cargo, em um encontro em uma cafeteria no Centro de Porto Alegre. Juliana Brizola está cotada para concorrer a uma vaga na Câmara Federal, disputando com Afonso Motta e Pompeo de Mattos, seus correligionarios.

Avaliações internas dos partidos e pesquisas que mostram Lula já na frente no Rio Grande do Sul, dão a certeza para todos os analistas que Edegar Pretto deve ir ao segundo turno contra Onix Lorenzoni (PL) que é o candidato de Bolsonaro.

Eu apostaria que hoje, a cúpula pedetista, deve estar analisando bem o cenário. E, um passo para trás poderia configurar uma vitória em outubro, qual seja: indicar o vice do PT e comandar o estado pelos próximos 4 anos.

Diretor do Jornal Sexta, nascido e criado em Viamão.