Perícia analisará atendimento médico concedido a piloto de motovelocidade que morreu após acidente em Tarumã

Piloto de Garibaldi Samuel Ferla, 37 anos, morreu no Istituto de Cardiologia – Hospital de Viamão, horas após cair durante prova no autódromo viamonense . . .

A Polícia Civil de Viamão vai solicitar uma perícia técnica para analisar os procedimentos médicos adotados no atendimento a Samuel Ferla, 37 anos, no hospital da cidade. Morador de Garibaldi, na Serra, o piloto de motovelocidade morreu no último dia 5 após sofrer uma queda em uma prova que disputava no autódromo de Tarumã.

De acordo com a delegada Marcela Brito, responsável pelas investigações, a intenção é verificar se houve algum erro nas medidas adotadas pela unidade de saúde durante o atendimento a Ferla. Na queda, o piloto foi atingido no lado direito do quadril pela própria moto e recebeu atendimento de socorristas do autódromo. A equipe decidiu, então, encaminhá-lo até o hospital de Viamão, onde Ferla deu entrada às 16h e morreu por volta de 21h30min.

A organização da 2ª etapa do Circuito Sul Brasileiro de Motovelocidade, competição da qual o piloto participava, alega que ele recebeu apenas remédios para a dor até as 19h20min, quando foi encaminhado para a realização de um exame de imagem. Nesse momento, Ferla teria sofrido uma parada cardíaca.

De acordo com Marcela, a perícia nos procedimentos é necessária porque a Polícia Civil não tem profissionais especializados para realizar a análise. O procedimento deve ser solicitado assim que a delegada terminar de ouvir testemunhas do caso.

— Ouvimos os médicos, enfermeiro e técnicos de enfermagem semana passada, que fizeram o atendimento do paciente. Já recebemos todos os prontuários de atendimento do hospital — afirma a delegada.

Os investigadores ainda pretendem ouvir o médico e o enfermeiro da ambulância que prestou o primeiro atendimento no autódromo, mas eles ainda não conseguiram contato. Nesta terça-feira (14) também deve ser ouvido mais uma vez o organizador da etapa do Circuito Sul Brasileiro de Motovelocidade.

Conforme a organização, Ferla era piloto experiente e já havia participado de diversas competições. No Circuito Sul Brasileiro de Motovelocidade, disputa que conta com cinco etapas e está na quarta edição, era a primeira participação dele. Nunca havia sido registrado um acidente fatal na competição.

Ainda no dia seguinte à morte de Ferla, o Instituto de Cardiologia – Hospital de Viamão disse em nota que o o piloto “foi a óbito frente à gravidade das lesões” e que “ao chegar na instituição, foi prontamente atendido pela equipe médica da emergência, composta de médicos clínicos e cirurgiões. Inicialmente submetido a tratamento de estabilização. Enquanto estava realizando exames diagnósticos para a correta avaliação das lesões, apresentou parada cardíaca”. Ainda segundo a instituição, o diagnóstico final da causa da morte é fornecida por médico legista.

Jornal Sexta, imprensa livre e independente. De Viamão para toda a Região Metropolitana de Porto Alegre e para o mundo. Desde 2010 (quando era ainda impresso), e para sempre.