Passarelas de bugios começam a ser construídas em agosto na RS-040

Serão 21 pontos de travessia que serão instalados aqui em Viamão . . .

No próximo mês, a RS-040 ganhará passarelas especiais. Ela serão construídas para atender a fauna da região, aqui em Viamão. Ao todo serão 21 pontos de travessia. Eles estão localizados em três regiões: entre o km 13 e o km 16 da rodovia, no km 21 e, por fim, entre o km 39 e o km 42. Todos os locais foram vistoriados em junho.

O objetivo da ação é facilitar a travessia segura de animais que passam a maior parte do tempo ou todo ele em árvores. Sem esses pontos específicos, bichos como o bugio-ruivo – que está ameaçado de extinção – se aventuram ao cruzar o asfalto pelo solo, o que ocasiona, por vezes, em atropelamento. Porém, outras espécies serão beneficiadas como ouriços, gambás, roedores e marsupiais de pequeno porte.

Os pontos de travessia foram escolhidos a partir de um estudo realizado pela STE – Serviços Técnicos de Engenharia, responsável pelo Programa de Proteção e Monitoramento de Fauna da Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR). Também colaboraram os especialistas em fauna do Núcleo de Ecologia de Rodovias e Ferrovias (Nerf) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Foram consideradas como informações as áreas com maior registro de fatalidade de animais, a cobertura florestal às margens da estrada e o resultado de entrevistas, feitas com as comunidades vizinhas, para a identificação da presença do bugio-ruivo no entorno. O Grupo Eco & Eco será o responsável pela instalação das passarelas. Serão investidos R$ 417 mil. Os serviços serão executados em dois meses.

Serão usados postes de até 15 metros de altura e pontes de corda, que serão instaladas atravessando a rodovia. A própria vegetação será usada para favorecer o acesso dos animais às estruturas. Depois da RS-040, a RS-235 e RS-453 também ganharão as mesmas estruturas. Após concluída a fase de revisões do projeto, licitações serão realizadas para contratar quem irá instalar as passarelas.

Importância do bugio

O bugio é considerado uma espécie de termômetro sobre a existência do vírus da febre amarela em circulação em determinadas regiões. Isso ocorre porque eles costumam ser as primeiras vítimas quando o vírus está presente.

Ações semelhantes

Há experiências de sucesso com a utilização do mesmo tipo de estrutura em outros locais do Estado. Em Porto Alegre, essa estrutura foi montada no bairro Lami.

A execução das medidas é definida em planos, projetos e programas atendendo às licenças e legislação ambiental. Além disso, a medida acata determinações de Ação Civil Pública, ajuizada pelo Ministério Público Estadual em maio de 2017, com objetivo de prevenir e reduzir o atropelamentos de animais nas rodovias sob administração da EGR.

Na Rota do Sol, uma ação parecida foi executada pelo Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer). Cinco travessias aéreas, mas com estruturas metálicas, foram construídas para anfíbios. A área, junto à Reserva Biológica Mata Paludosa, em Itati, é habitat de espécies em risco de extinção, algumas existentes apenas na região.

Jornal Sexta, imprensa livre e independente. De Viamão para toda a Região Metropolitana de Porto Alegre e para o mundo. Desde 2010 (quando era ainda impresso), e para sempre.